O que é a Columbófilia

A Columbófilia

 

A Columbofilia é um desporto de pombos-correios que consiste na solta dos mesmos em vários locais e eles voltarem para casa (pombal) o mais rápido possível.

 

            A Federação Columbófila Internacional, sedeada em Bruxelas agregar 64 países filiados, e é membro fundador da associação Ibero-Latino-Amaricana de Columbofilia, com 21 países filiados. Dessas 64 Federações encontra-se a Federação Portuguesa de Columbofilia fundada em 1945 com sede em Coimbra, que é representada por 14 associações em Portugal, com 763 clubes, 18000 associados e com cerca de 4500000 pombos recenseados. Todos os associados estão sobre um regulamento interno dos clubes ao qual pertencem, clubes esses que estão sobre o regulamento das associações e assim sucessivamente.

 

Para ser columbófilo é preciso inscrever-se como sócios nas colectividades mais próximas. Depois de inscritos deve-se proceder a uma inscrição na Federação Portuguesa para se obter uma licença federativa. Com esta inscrição ficamos abrangidos pelo seguro que cobre qualquer acidente que possa ocorrer na prática desportiva.

 

Para que não hája erros em relação ás coordenadas a  federação envia uma pessoa para retirar as mesmas, a todos os pombais (mediana e perpendicular). É entregue ao sócio um cartão com a licença federativa com as coordenadas e com o nº da apólice do seguro.A partir deste momento já se pode comprar anilhas oficiais e registar os pombos-correios em nome do columbófilo.

 

As anilhas são compradas na Federação Portuguesa de Columbófilia ou nas colectividades. Estas são feitas em alumínio onde tem registado um número, nacionalidade e o ano, e revestidas a plástico transparente, em que cada ano tem uma cor que varia de azul para verde passando pelo cor-de-rosa, amarelo, vermelho e branco. Cada anilha tem um cartão com o respectivo número nacionalidade, ano, à cor da anilha e com um código de barras, esse cartão é o título de propriedade que serve para identificar o pombo como sendo nosso. Cada pombo para poder participar em provas tem que ter esse Cartão (Título de Propriedade).

Na parte de trás do cartão tem um espaço destinado aos dados do pombo anilhado (avos e pais). As anilhas são colocadas, na pata, dos pombos recém nascidos, aos oito dias, para que mais tarde elas não possam sair.

 

           Os concursos começam a meados de Fevereiro e só acabam no inicio de Julho. Só poderão concorrer os pombos-correios dos columbófilos que tenham procedido a vacinação dos mesmos e que estejam recenciados na Federação.

Estas provas estão separadas por quatro campeonatos, campeonato de velocidade que são provas de 150a 300km os de meio fundo que são desde os 301km a 500km, os de Fundo que são desde 501km a 800km e por fim os de grande fundo que são provas a partir  dos 801km (estas provas são  facultativas, e são disputadas a nível nacional).

 

Antes de cada prova os pombos são deixados nas colectividades. Onde é registado o número da anilha oficial com o número da anilha do concurso. Estas anilhas são de borracha e carimbadas com um número. Cada uma trás um papel no seu interior com o mesmo número, este fica na posse da colectividade.

 

Cada concorrente faz-se acompanhar de um relógio adequado para a columbofilia para que possa comprovar a hora da chegada dos seus pombos. Os relógios mais antigos a corda ou a pilhas, tem um papel químico e um rolo de papel para marcar a hora do batimento, também tem orifícios para que seja colocada a anilha de borracha que por sua vez cai num prato com vários buracos dentro do mesmo. Cada vez que se roda a chave o relógio faz um batimento (marca a hora) e roda o prato para que se posa colocar mais anilhas. Estes relógios têm de ser preparados pelos concorrentes na sede, escrevendo o nome do concorrente, o local do concurso, a data e acertar a hora pelo relógio padrão (relógio que está na sede ao qual todos os outros relógios têm de se acertar). Depois é visto e assinado por um membro do conselho técnico (que faz parte da direcção da colectividade) e por fim é lacrado.

 

Estes relógios estão a desaparecer devido ao aparecimento de constatadores electrónicos. Para estes relógios é necessário aplicar uma anilha com um chip na pata de cada pombo. Estes antes de entrar no cesto são passados num "prato" que está ligado ao constatador  para que fique registado a sua presença na prova e conferida a anilha oficial com anilha electrónica.  

 

Os pombos são encestados em cestos com capacidade entre 30 a 35 pombos, e quando completos são lacrados,e transportados para um local de concentração onde um camião os transporta para o local da solta.  Ao local da solta dirige-se um delegado da solta que avalia as condições climatéricas (a existência de nevoeiro ou precipitação forte).

 

 Quando os pombos chegam das provas são lhes retiradas as anilhas do concurso, quando os relógios são manuais, quando são electrónicos, os pombos ao entrarem na spoutnic passam por um sensor que regista o pombo e a hora de chegada. Por fim leva-se os relógios à sede e regista-se a hora de cada pombo, são então feitas as contas.

 

Os dois primeiros pombos de cada columbófilo são os que fazem o somatório da classificação do columbófilo, se estes estiverem nos 20%dos pombos a concurso da colectividade. Os restantes pombos que o columbófilo conseguir meter ao mapa só contam para a classificação individual do pombo e retira classificações aos outros. Os pombos são treinados fazendo-os, voar todos os dias à volta do pombal. Quando encerra a época dos concursos começa o acasalamento, e em meados do mês de Agosto começa a muda deve fazer-se sempre um tratamento para a mesma (uma boa muda é meio campeonato ganho).

 

E aqui fica uma pequena explicação para o que é a Columbófilia, esperando que tenha exclarecido algumas dúvidas e que sirva também para atrair mais alguns praticantes para esta modalidade tão interessante mas tão pouco divulgada pelos meios de comunicação!!

 

 E já agora sabia que este desporto é considerado o segundo desporto mais praticado em Portugal a seguir ao futebol!