Estatutos


REGULAMENTO INTERNO DESPORTIVO 2022 

REGULAMENTO INTERNO - DESPORTIVO

 

Preâmbulo

 

O Regulamento Interno para a Sociedade Columbófila Nisense, obedecerá em termos gerais aos Estatutos da SCN, Regulamento Desportivo Nacional e ao Regulamento Disciplinar da FPC bem como ao cumprimento das regras emanadas pela Direcção Geral de Saúde (DGS) para que a prática do desporto columbófilo possa decorrer com a normalidade possível e em condições de segurança, cumprindo o Regulamento para a prática desportiva na Columbofilia – COVID 19, por parte de todos os praticantes e entidades envolvidas, salientando-se todavia, as disposições que a seguir se indicam:

 

I – Disposições Gerais

 

1)      Só poderão participar na Campanha Desportiva da S.C.N., os sócios que tiverem os seus pombos devidamente recenseados, vacinados e com o pagamento das quotas e quaisquer outras taxas em dia.

 

As cotas da Colectividade devem encontrar-se liquidadas a 1 de Março de 2022

 

2) Os pombos participantes numa prova e não recenseados (recenseamento desportivo) serão desclassificados.

 

3) O Calendário de Treinos da Colectividade, encontra-se anexado a este regulamento, no entanto só serão realizados treinos com 50% do Carro preenchido. O preço por caixa será de 7,5€ ou então 0.25€ por pombo.

 

4) A Direcção ou o C. Técnico, sempre que entender e caso se justifique, poderá alterar o horário do encestamento.

       Quando se verificar a decisão alterar o horário, o Aviso a colocar no Placar de Informações e na página de Internet, deverá ser efectuado com pelo menos 48 horas de antecedência, e tomar-se-á as diligências necessárias para informar todos os concorrentes da decisão.

 

5) Os pombos serão sempre abeberados em todos os encestamentos.

 

6)  O presente Regulamento entrará em vigor imediatamente a seguir à sua aprovação em Assembleia-geral e estará em vigor até à sua alteração em nova Assembleia-geral convocada para o efeito.

                a) À Direcção e ao Conselho Técnico da S.C.N. reserva-se o direito de alterar o presente Regulamento, sempre que motivos de força maior o justifiquem, carecendo sempre de aprovação em Assembleia-geral.

b) De igual modo e sempre antes de iniciada a Campanha Desportiva, as decisões votadas em Assembleia-geral, introduzirão as necessárias modificações ao Regulamento Interno para a Campanha Desportiva seguinte.

II – Inscrições, Prazos e Formas de Pagamento

 

7)  A inscrição para a Campanha Desportiva realiza-se dentro do prazo indicado para o efeito, que será afixado no Placar de Informações da Sede, e na página da internet em www.nisense.columbofilia.net

 

8)  O valor da inscrição para cada Campanha Desportiva será indicado na apresentação do Orçamento anual e fará parte do “Preçário Geral da S.C.N.” que será divulgado, quando da apresentação do Orçamento para o ano seguinte.

 

9)  Prazos e forma de pagamento da inscrição para a Campanha Desportiva 2022:

 

a) 1º pagamento, de 25% dos pombos inscritos, até 1 de Março;       

b) 2º pagamento no valor de 25% até 1 de Abril;

c) 3º pagamento no valor de 25% até 1 de Maio;

d) 4º pagamento no valor de 25% até 1 de Junho;

 

10)  Até ao 1º dia de Dezembro do ano em que decorre a Campanha Desportiva, para a qual se inscreveram, todos os Concorrentes deverão ter:

 

a) As suas quotas liquidadas( Coletividade e Federativa);

b) Liquidado o valor total da inscrição de pombos (Campanha).

c) O não cumprimento das alíneas anteriores, implica a não participação na Campanha seguinte.

   

III – Direitos dos Concorrentes

 

11)  Todos os concorrentes têm direito, gratuitamente, a uma folha com as suas classificações semanais obtidas do programa informático de classificações.

 

12)  Todos os concorrentes têm direito a um prémio de participação.

 

a)      As Sociedades só têm direito a um prémio, independentemente do n.º de associados que a compõem.

b)      Caso seja do interesse dos restantes associados, este poderão solicitar uma réplica do prémio, mediante pagamento.

 

13)  Os concorrentes que pretenderem voar no sistema de “doublage” noutra Coletividade, tem direito ao fornecimento de todos os dados necessários para efectuarem a sua inscrição para o efeito, mediante pedido por escrito dirigido ao Presidente do C. Técnico da S.C.N..

 

IV – Deveres dos Concorrentes

 

14)  Todos os concorrentes com sistema de constatação de chegada electrónico têm o dever de permitir o controlo das entradas pelos elementos do Conselho Técnico, que selarão as respectivas entradas com o selo da Colectividade.

 

15)  Nos encestamentos, quer dos treinos quer das provas, o concorrente após a chegada ao local de encestamento, deve indicar a quem está a presidir aos trabalhos de encestamento, o n.º de Machos e Fêmeas que vai enviar.

 

16)  Os concorrentes possuidores de relógios constatadores de corda ou digitais com comprovações em falso, deverão participar esta situação ao Conselho Técnico, bem como, entregar o “aparelho” constatador com pelo menos uma comprovação para o “fecho”.

 

17)  Todo o concorrente é obrigado aos serviços de escala e por equipa, podendo no entanto combinar com a Direcção e Conselho Técnico a sua escusa, mediante o pagamento de uma indemnização de 20€ por cada encestamento que não cumpra as suas obrigações, ou então justificar devidamente a sua falta, com por exemplo motivos profissionais.

        (a) A multa deverá ser paga antes do início do encestamento seguinte caso não seja efetuada a direção e o conselho técnico poderão impedir o respetivo associado de encestar os seus pombos.

 

        Os deveres, isenções e demais cláusulas relacionados com a “Escala de Serviço” estão descritos no capítulo VI deste regulamento.

 

18) A preparação dos aparelhos de corda ou analógicos é da inteira responsabilidade dos seus proprietários.

       Ao Conselho Técnico cabe a responsabilidade de rubricar e carimbar as fitas, bem como, verificar a correcta selagem dos aparelhos e buracos de saída.

 

V – Encestamentos e Boletins de Anilhamento

 

19)  Para cada prova é obrigatório o preenchimento integral do boletim de anilhamento, sem emendas ou rasuras, o qual deverá ser entregue no horário a afixar atempadamente pelo Conselho Técnico.

 

20) Os concorrentes não podem ceder o nº., de pombos por si inscritos a outro concorrente.

 

21)  O Conselho Técnico marcará com a devida antecedência o horário de apresentação de boletins de anilhamento, assim como, o respectivo horário do anilhamento e encestamento para as diversas provas a realizar.

 

22)  Se ocorrer fuga de pombos após a entrega para encestamento poderá o concorrente apresentá-los posteriormente, desde que, não impeça o bom andamento do carregamento dos pombos.

 

23) Os limites de pombos a encestar, são os seguintes:

a) Campeonato do Columbófilo: 25 pombos a Velocidade e Meio Fundo e 20 pombos a Fundo

b) Campeonato do Pombo Ás: máximo de 105 pombos por concorrente.

 

24)  Não será restituída qualquer importância relativa a inscrições de pombos que não sejam apresentados aos anilhadores, ou que sejam recusados por incapacidade física ou sanitária.

 

25) Ao C. Técnico compete avaliar o estado de saúde dos pombos. Pombo que não se apresente em boas condições não será encestado.

      Entende-se por boas condições de saúde, o bom aspecto externo e visível das condições de higiene, físicas e sanitárias do animal.

 

VI – Serviço de Encestamento e Limpeza da Sala da Colectividade

 

26)  Devido ao reduzido número de concorrentes, todos os concorrentes devem participar nos serviços de Carregamentos e Recolha de Caixas, a qual obedecerá aos seguintes pontos: 

 

a)      Os Serviços funcionarão durante toda a Campanha Desportiva em treinos da Associação e Concursos e o trabalho de cada concorrente compreende: 

 

(1)   O encestamento para cada prova, dos pombos da sua equipa de trabalho, não podendo o concorrente encestar os seus próprios pombos.

(2)   O carregamento das Caixas para os treinos e concursos oficiais, nas datas das provas deve ser feita por TODOS os concorrentes.

(3) A limpeza da Sala de encestamento e respetivas caixas deverá ser efetuada pela equipa de serviço à Limpeza, de forma alterada prova sim prova não.

 

Equipa A

Equipa B

José Cabim

Fernando Barriguinha

João Eugénio

Irmãos Dona

José Carita

António Semedo

João Carqueija

António Martins

João Paulo

Paulo Franco

Asas de Tolosa

Francisco Narciso

João Cabim

Helder Bugalho

José Figueiredo

José Dona

 

VII – Saída e Entrega de Aparelhos

 

27)  O disparo de saída dos aparelhos é dado após o encestamento, ou em dia a indicar no placar de informações da Sede e na página de Internet da colectividade, no caso haver alterações.

 

28)  A última entrega dos aparelhos após o concurso será feita no mesmo dia da prova no seguinte horário:

 

      - 3 horas após a chegada para provas de Velocidade e Meio-Fundo;

      - 22horas para provas de Fundo.

 

a)      É obrigatório, todos os amadores, apresentarem os aparelhos para fecho, mesmo que não tenham pombos constatados.

 

b)      No caso de um concurso durar vários dias os aparelhos devem vir à Sede às horas previamente marcadas pelo C.Técnico (sempre fora do período de constatação) para que seja feita uma constatação de controlo.

 

c)       Na eventualidade de se verificar duas provas no mesmo dia, sendo uma delas de Fundo, o horário de entrega será às 22 horas.

 

d)      Quando nas provas de fundo ou outra especialidade, o concorrente não tiver recebido qualquer pombo da prova, deverá apresentar-se pelas 22 horas na Sede, a fim de cumprir com o Regulamento Desportivo Nacional.

 

e)      Sempre que o concorrente entender, poderá efectuar disparos de controlo ao aparelho, os quais só serão aceites, desde que, sejam testemunhados por dois ou mais concorrentes ou por uma entidade oficial que, em ambos os casos, deverá o concorrente comprovar através de acta ou declaração para o efeito e assinada pelas testemunhas e por ele próprio.

 

29)  A abertura de aparelhos para efeitos de apuramento de resultados será efectuada habitualmente aquando da entrega dos mesmos, ou à hora que o Conselho Técnico determinar.

                                              

 

VIII – Prémios e sua Entrega

 

30)  Os prémios em disputa, quer os consubstanciados em forma de taças ou troféus, ou de outra natureza, quer os consubstanciados por prémios pecuniários, serão apresentados no Orçamento para a Campanha Desportiva, com base nos pressupostos para a elaboração do respectivo Orçamento, cujos prémios poderão ser rectificados mediante a discrepância positiva ou negativa que o referido Orçamento possa sofrer quanto a inscrições dos concorrentes.

 

31)  A cerimónia de entrega de Prémios será efectuada no dia 01 de Março do Ano seguinte ou no fim de semana mais próximo, para que desta forma se possa festejar também o aniversário da Colectividade.

 

32)  A escolha de taças ou troféus será da responsabilidade da Direcção e do Conselho Técnico, tendo a Direcção decisão de qualidade em caso de divergência de escolha, a qual se reserva o direito de escolha ou substituição do modelo, salvo nos prémios ofertados por terceiros com Regulamentos próprios ou ainda aqueles a quem a Direcção solicitar o seu Patrocínio.

 

IX – Disposições Finais

 

33)  Os concorrentes que utilizem anilhas para constatação electrónica terão de assegurar no início de cada campanha, uma listagem de atribuições de anilhas magnéticas a ser executada pelo respectivo Conselho Técnico ou alguém indicado para o efeito.

 

34)  Alteração dessa atribuição só poderá ser feita pelo Conselho Técnico ou alguém indicado para o efeito.

 

35)  Só será considerada qualquer reclamação, desde que seja feita por escrito, dirigida ao Presidente do Conselho Técnico ou da Direcção, dentro do prazo de 8 dias após a ocorrência que ocasionou a mesma.

 

36)  A Direcção e o Conselho Técnico estarão abertos ao diálogo e colaboração dentro dos parâmetros e da sã convivência desportiva e de respeito mútuo.

 

37)  Nenhum sócio ou concorrente poderá alegar desconhecimento de toda e qualquer matéria constante do presente Regulamento, assim como das regras desportivas e disciplinares da Associação e Federação Portuguesa de Columbofilia.

 

38)  Qualquer caso omisso neste Regulamento será resolvido pelo Conselho Técnico (Secção Desportiva) ou pela Direcção (Secção Administrativa) da S.C.N. de conformidade com os Regulamentos da FPC.

 

39)  A cada concorrente será entregue uma cópia do presente Regulamento.


Cotas da Sociedade

1€/Mês

Treinos da Associação (Pagamento no dia do Encestamento)

Caixa de treino da Associação - 10€/caixa

Preço dos pombos

- Velocidade 2.00€/pombo (6 provas)

- Meio-Fundo – 2,40€/pombo (6 provas)

- Fundo – 7€/pombo (6 provas)

Preço dos Pombos com inscrição à semana

                - Velocidade 0,50€/Pombo

                - Meio fundo 0,70€/Pombo

                - Fundo – 1,2€/pombo – Pombo Às

 

                               Treinos da Colectividade (Pagamento no dia do Encestamento)

Pombo de treino na Colectividade – 0,25€/pombo – 7,5€/caixa

 

Campeonatos

Geral, Velocidade, Meio Fundo e Fundo (soma dos 2 primeiros pombos classificados nas provas de cada especialidade)

Anilhas de ouro, prata e bronze de Geral, Velocidade, Meio Fundo, Fundo e Borrachos.

Eliminatórias de Velocidade, Meio Fundo e Fundo

Yearlings (classificação só com os 25% dos pombos com anilha de 2021 enviados, nas provas de Velocidade e Meio Fundo, contam para este campeonato os primeiros 25 pombos encestados com anilha de 2021).

Anilhas de ouro, prata e bronze para os Yearlings