Notícias


Proposta de Calendário Desportivo para o Distrito do Porto 31-07-2018

AOS VERDADEIROS COLUMBÓFILOS AMANTES DO POMBO CORREIO DO DISTRITO DO PORTO OU ATÉ DO PAÍS INTEIRO

- Foi-nos dito, há já vários anos, quando se extinguiram as Comissões Distritais e se criaram as Associações, que estas iriam ter mais autonomia sobre os seus próprios destinos e que, a federação, não poderia interferir nos desejos dos columbófilos dos distritos.
Assim sendo, elaboramos a seguinte proposta de calendário para o Distrito do Porto para a existência de um CAMPEONATO GERAL.

+-2240km para 8 provas de velocidade, +-2450km para 7 provas de meio-fundo e +-2600km para 4 provas de fundo = 2 treinos e 19 concursos.

Treino (Leiria)
Treino (Pinheiro Grande)
Velocidade (Mora)
Velocidade ( Vendas Novas)
Meio Fundo (Figueira de Cavaleiros)

Meio Fundo (Castro Verde)

Meio Fundo (Algoz)

Velocidade (Pavia)
Fundo (Motilla del Palancar)
Velocidade (Montargil)
Meio Fundo (Almodovar)
Fundo (Minglanilla I)
Velocidade (Portalegre)
Meio Fundo (Beja)
Fundo (Minglanilla II)
Velocidade (Portalegre)
Meio Fundo (Serpa)
Velocidade (Estremoz)
Fundo (Valência)
Velocidade (Pavia)
Meio Fundo (Canalcaveira)

- Para as colectividades do interior do Distrito, sempre as mais desfavorecidas no contexto da programação de soltas de que há memória, proponho, salvo opinião dos columbófilos dessas zonas e que, melhor que ninguém, saberão quais os melhores opções, que seja efectuado um calendário de provas de velocidade e meio-fundo direccionadas para leste (Espanha).
- A solta de Algoz, de uma vez para sempre, banir a solta única e efectuar soltas de 2 blocos de cada vez, com solta cedo da manhã e com intervalos de 15 minutos se o tempo atmosférico assim o permitir. Solta única só em caso extremo de atraso por não haver tempo atmosférico que permita a solta separada cedo.
- Tive o cuidado de referir que esta proposta é para a existência de um CAMPEONATO GERAL. No caso de serem extintos os campeonatos gerais, em cada um dos campeonatos, sejam eles quais forem, poderão ser aumentados o número de provas, conforme o gosto e as pretenções de cada um.

- Não fazemos a mínima ideia qual o acolhimento que esta proposta possa ter por parte de todos os columbófilos do Distrito do Porto, não deixando de ser uma PROPOSTA séria e que visa promover a columbofilia que cada vez tem menos adeptos e, sobretudo, respeitar o pombo correio e os seus criadores.
Provavelmente aparecerão os adeptos dos concursos de fundo (eu sou um deles) que acharão 4 concursos insuficientes para os seus desejos. Aproveito para lembrar, que um dos erros mais escandalosos da destruição de colónias é a existência de mais que 4 provas de fundo PARA UM CAMPEONATO GERAL e só por esse facto. A capacidade de recuperação de um pombo de fundo tem que ter tempo suficiente para esse efeito e não é, de modo algum, com encestamentos de 15 em 15 dias que essa recuperação pode ser eficiente. Quem não perceber isto, não entende nada do que são as necessidades de um pombo correio. Além disso, pouco valerá a pena investir em pombos com características de fundo, uma vez que no espaço de uma campanha com seis provas, os mesmos ficam "queimados" para toda a vida, muito embora possa, naturalmente, haver excepções, cada vez mais raras.

- A todos aqueles que queiram fazer deste nosso trabalho uma forma séria e útil para bem desta columbofilia tão mal tratada, agradecemos partilhem e divulguem o mais possível na esperança de que os dirigentes associativos e só esses, alterem os destinos da columbofilia do Distrito.

P'elo Clube Columbófilo Nacional

Mário Duarte Areosa

Nota - Este texto foi escrito em profundo desacordo e total desrespeito pelo pretenso acordo ortográfico.


Sugestão à Exmª Federação Portuguesa de Columbofilia 06-06-2018

Quer se queira ou não, os dois concursos de fundo já efectuados, mostraram, mais uma vez, que a forma de pontuar existente há mais de 100 anos, é de alguma forma obsuleta, injusta e desajustada da realidade!
Senão vejamos:
Embora os concursos em questão, tenham sido esquisitos e tendo decorrido de uma forma um pouco anormal, não foram anulados e contaram para as diversas classificações das colectividades e campeonatos distritais, tal e qual aconteceram, sem tirar nem pôr. Entreta
nto, por esse país fora e em quase todas as colectividades do país, houve pombos a se classificarem em lugares quase seguidos mas distantes no tempo uns dos outros.
Numa colectividade da nossa praça, como exemplo igual a tantos outros, um pombo tirou o 1º prémio e uma hora depois, um outro pombo tirou o 5º prémio, só perdendo uns míseros 4 pontos. Entretanto, se nessa hora de diferença tivessem chegado 100 pombos, a diferença em pontos para a mesma hora entre eles, seria bem diferente. Daqui se conclui, que a columbofilia, que deveria ser uma actividade de competência dos columbófilos, bem como de competência dos próprios pombos não o é. É sim uma actividade de sorte ou azar, igual a jogar no casino ou no euromilhões.
Como resolver isto? Muito simplesmente somando tempos gastos em função das distãncias percorridas, sem interferência absolutamente nenhuma de terceiros a "empurrarem" nas pontuações de cada um. Melhor dizendo, somar as velocidades médias dos dois primeiros pombos chegados de cada concorrente. Tão simples quanto isto e tão necessário quanto o concurso é da natureza dos que acabaram de acontecer no nosso país.
Em tempos já passados, o saudoso presidente da nossa federação, GASPAR VILA NOVA, infelizmente já falecido, foi sensível a este problema, como era seu atributo e com a minha ajuda, tentou inverter este hábito arcaica e pouco justo de atribuição de pontos aos lugares obtidos pelos pombos nos concursos. Infelizmente, numa votação de congresso federativo, uma Associação com grande influência, não entendeu esta minha mensagem e não foi aprovada a alteração, ficando a soma das médias a ser, ainda hoje, utilizada se houver necessidade de desempatar, o que não deixa de ser caricato utilizar um sistema para desempatar, depois de existir um outro que permite que haja empates.
Continuarei, entretanto, nesta luta quase inglória de tentar ter uma columbofilia mais justa mas que, teimosamente, não é partilhada da mesma forma por uma boa parte dos companheiros de desporto.

Entretanto, O CLUBE COLUMBÓFILO NACIONAL, na pessoa do signatário, sem querer alterar o sistema actualmente em uso há longos anos e difícil de substituir por vontade de parte dos columbófilos portugueses, vem sugerir à FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE COLUMBOFILIA que, com a competência já demonstrada por quem orienta toda a informática deste desporto e que é um dos mais avançados do mundo, facultar, com suporte informático adequado, a possibilidade de, a par do sistema de pontuação actual, também ser possível o sistema por tempos (soma das velocidades médias), podendo os columbófilos serem confrontados com os dois métodos e, dessa forma, terem uma outra maneira de avaliarem as suas competências como praticantes.

Para tal, estaremos disponíves perante a Federação, na ajuda necessária, no sentido de implementação deste método que, quer se queira ou não, já existe no regulamento actual, para ser usado em desempates.

Mário Carlos Areosa


Repúdio por tudo o que de mal se está a fazer à columbofilia 11-04-2018

Uma quantidade longe do aceitável de pombos soltos em 8 de Abril de 2018, não chegaram aos seus pombais.

Decididamente, não foi um acidente! Acidente seria se, sem ser previsto, tivesse acontecido inexplicavelmente e não foi o caso! Todos sabiam que iria estar tempo impróprio para uma prova desta natureza.

Mas...responsabilizar os columbófilos por terem enviado os seus pombos sabendo que as condições não eram as ideais, não é a forma correcta de justificar o acontecido. Os columbófilos estão numa competição e, a partir do momento que existem dirigentes a gerirem uma Associação, estes deverão ter competência e capacidades suficientes para darem garantias aos columbófilos no sentido de poderem confiar-lhes os seus pombos para transporte e regresso em condições minimamente aceitáveis. Ou seja: "Eu posso enviar os meus pombos completamente à vontade porque, mesmo também sabendo que não irão estar garantidas as melhores condições de tempo, do outro lado, estão pessoas responsáveis que trarão os meus pombos de volta sãos e salvos".

Nada disto acontece há anos! A columbofilia é, decididamente uma "Roleta Russa", em que a sorte e o azar passaram a ditar as leis e tanto faz os dirigentes serem responsáveis ou não, o que irá contar será a sorte. Simplesmente lamentável e desprezível!

Como se tudo isto não bastasse, não existe sequer a dignidade por parte dessa gente, em pedir desculpa aos columbófilos e muito menos a mesma dignidade em assumir as culpas que são inteiramente de quem sabe antecipadamente o que vai acontecer e, mesmo assim, efectua o erro.

Mário Carlos Areosa

Presidente da Direcção

 


POMBOS PERDIDOS EM SOLTA DESASTROSA 10-04-2018

Após o sucedido no passado dia 8 de Abril de 2018 e com uma quantidade exagerada de pombos perdidos e exaustos espalhados por todo o lado, é dever de quem se preocupa com esta modalidade e com tudo o que a envolve, tudo fazer para ajudar esses pombos.

Assim, para quem eventualmente não saiba o que fazer e for confrontado com a presença de um pombo correio, deverá, na medida do possível e nas primeiras horas, proporcionarem-lhes água e comida (grãos de milho ou arroz cru).

De seguida, entrar em contacto com os serviços da FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE COLUMBOFILIA (perdidos e achados), dando conhecimento do aparecimento.

Se, para tal, entenderem que esta colectividade poderá ajudar, teremos todo o sentido de responsabilidade para esse efeito.

O Conselho Directivo


Anilhas oficiais 2018 12-01-2018

Estão disponíveis para entrega, as anilhas oficiais de 2018, ao preço unitário de €0,47.


Pombos campeões 2016 27-06-2016

Pombo Campeão Geral

4102078/14

António José Coimbra Tavares

Coeficiente - 175,4459

 

*

 

Pombo Campeão de Velocidade

4166478/14

Pedro Simão Rodrigues

coeficiente - 51,7035

 

*

 

Pombo Campeão de Meio-Fundo

4165989/14

Pedro Simão Rodrigues

coeficiente - 23,6610

 

*

 

Pombo Campeão de Fundo

2234195/12

Nuno Diogo Campos Braga

coeficiente - 101,7404


Campeões 2016 26-06-2016

Campeonato Geral

Vencedor

António Lemos Azevedo

Soma total do campeonato geral - 45357,4851 : 18 concursos = 2519,8602 : 2 pombos/concurso = 1259,9301m/m (velocidade média do campeonato na sua totalidade)


Campeões 2016 25-06-2016

Campeonato de Fundo

Vencedor

António Lemos Azevedo

Soma total das velocidades no campeonato - 13585,9404 : 6 concursos = 2264,3234 : 2 pombos/concurso = 1132,1617m/m ( velocidade média geral do campeonato de fundo)


Campeões 2016 16-06-2016

Campeonato de Meio-Fundo

Vencedor

Pedro Simão Rodrigues

Soma total das velocidades no Campeonato 15823,8830 : 6 concursos = 2637,3138 : 2 pombos/concurso = 1318,6569m/m ( velocidade média geral do campeonato de meio-fundo)


Campeões 2016 10-06-2016

Campeonato de velocidade

Vencedor

Pedro Simão Rodrigues

Soma total das velocidades no campeonato -16328,4515 : 6 concursos = 2721,4085 : 2 pombos/concurso = 1360,7042m/m (velocidade média geral do campeonato de velocidade)